Uso da Ventilação Não Invasiva (VNI) no Aumento da Tolerância ao Exercício em Pacientes com Insuficiência Cardíaca
PDF

Palavras-chave

Insuficiência cardíaca
Ventilação não invasiva
Fisioterapia

Como Citar

Uso da Ventilação Não Invasiva (VNI) no Aumento da Tolerância ao Exercício em Pacientes com Insuficiência Cardíaca. (2024). Revista Científica Do Hospital De Urgências De Goiás | ReHUGO , 1(1), 63-74. https://jornal.hugo.org.br/index.php/ReHUGO/article/view/7

Resumo

Introdução: A insuficiência cardíaca (IC) é um desafio global de saúde pública, afetando milhões de pessoas em todo o mundo, com um aumento notável da prevalência com o envelhecimento da população. A IC também resulta em altos custos econômicos e taxas significativas de morbidade e mortalidade. Além dos sintomas cardíacos, como dispneia e fadiga, os pacientes com IC frequentemente experimentam uma redução na capacidade de exercício devido ao comprometimento da musculatura esquelética. Objetivo: Diante dos expostos, a presente revisão tem como objetivo avaliar a efetividade da VNI no aumento da capacidade funcional e na melhoria da tolerância ao exercício em pacientes com insuficiência cardíaca. Metodologia: Foi realizada uma revisão integrativa, onde realizou-se uma pesquisa nas bases de dados: Lilacs, Scielo, Pubmed e Google Scholar. Foram selecionados artigos publicados entre os anos de 2013 a 2023, em português ou inglês. Resultados: Obtivemos 21 estudo, após leitura analítica dos dos títulos, resumos e uma breve discussão, foram selecionados 8 artigos que constataram beneficios da VNI em pacientes com IC e o aumento da tolerância ao exercício. Conclusão: Ventilação Não Invasiva (VNI) emerge como uma intervenção terapêutica relevante no contexto da insuficiência cardíaca (IC). Através das investigações e estudos abordados, ficou evidente que a VNI oferece uma série de benefícios para pacientes com IC, como a melhora na capacidade funcional, a redução de sintomas como dispneia e fadiga, a otimização da função cardiovascular, e até mesmo a diminuição da pressão arterial e frequência cardíaca em repouso, além da melhor aceitação a exercícios.

PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Revista Científica do Hospital de Urgências de Goiás | ReHUGO